Brainspotting

 

Brainspotting é um método de tratamento para identificar, processar e liberar as principais fontes neurofisiológicas de dor emocional e corporal. Com este método é possível realizar o diagnóstico e o tratamento, simultaneamente, de sintomas que estão tipicamente fora do alcance da mente consciente e de sua capacidade cognitiva e de linguagem.

Os clientes que buscam este tipo de terapia geralmente se enquadram em duas categorias. Os primeiros são aqueles que procuram terapia pela primeira vez. A segunda categoria é formada por pessoas que já fizeram terapia antes e procuram um terapeuta com novas técnicas. Com foco e precisão, pode-se encontrar através das posições dos olhos (Brainspots) onde o trauma, ansiedade, depressão ou problemas comportamentais são mantidos no cérebro.

O trabalho com o Brainspotting acontece por meio do acesso direto aos sistemas autônomo e límbico, ambos considerados partes importantes do sistema nervoso central. O primeiro está relacionado ao controle de funções vegetativas como a respiração, a circulação do sangue, o controle de temperatura e a digestão. Enquanto o segundo é responsável por emoções profundas e por comportamentos instintivos como ira, prazer e medo.

Para localizar um Brainspot, observa-se a posição do olho e das respostas reflexivas experimentadas pelo cliente, tanto externamente quanto internamente. A posição do olho está relacionada à ativação energética e emocional de um problema traumático ou emocional dentro do cérebro, na amígdala, no hipocampo ou no córtex orbitofrontal do sistema límbico.

Quando um Brainspot é estimulado, o cérebro profundo sinaliza reflexivamente ao terapeuta que uma área significativa foi localizada. Isso normalmente acontece fora da consciência do cliente. Há uma infinidade de respostas reflexivas, incluindo espasmos oculares, oscilações, congelamentos, piscadas (piscadas fortes e duplas), dilatação e constrição da pupila, estreitamento, tiques faciais, franzir a testa, cheirar, engolir, bocejos, tosses, acenos de cabeça, sinais com as mãos, movimento do pé e deslocamento do corpo. Expressões faciais reflexivas também são indicadores poderosos de Brainspots.

O Brainspot pode então ser acessado e estimulado mantendo a posição do olho do cliente enquanto o cliente está focado na experiência somática e sensorial do problema sendo tratado na terapia.

A manutenção da posição do olho dentro do foco de atenção de determinado problema ou trauma estimula um processo de integração e cura profunda dentro do cérebro. Esse processamento, que parece ocorrer em um nível reflexivo ou celular dentro do sistema nervoso, provoca um descondicionamento de respostas emocionais e fisiológicas previamente condicionadas e mal adaptadas.

O método Brainspotting parece estimular, focar e ativar a capacidade inerente do corpo de se curar de traumas

O Brainspotting é uma abordagem “corpo a corpo”, na qual a angústia é ativada e localizada no corpo, o que leva à localização do Brainspot com base na posição do olho. Ao contrário do EMDR, onde a memória traumática é o alvo, no Brainspotting o ponto de ativação é o objetivo. Tudo visa ativar, localizar e processar o Brainspot.

Qualquer evento de vida que cause danos físicos ou emocionais, no qual a pessoa se sente oprimida, desamparada ou presa, pode ser considerado uma experiência traumática. Neste contexto, o Brainspotting fornece uma ferramenta neurobiológica para acessar, diagnosticar e tratar uma ampla gama de condições somáticas e de base emocional.

Se interessou por esta abordagem? Entre em contato, tire as suas dúvidas e agende uma consulta!

Psicóloga Carolina Gigliotti

WhatsApp: (44) 99184-1200

Email: [email protected]

 

 

Fonte: brainspotting.com